sexta-feira, 14 de julho de 2017



A Igreja Católica no Brasil é organizada por circunscrições eclesiásticas, atualmente é composta por 18 regionais. Nesta série, conheça as curiosidades de cada regional da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB): a começar pelo ‘Norte 1’, que abrange o norte do Amazonas e o estado de Roraima.

“O regional Norte 1 surgiu na perspectiva de melhor se organizar, para que a Igreja possa estar mais perto do povo e ser uma Igreja em comunhão”, explica o secretário executivo do regional, diácono Francisco Andrade de Lima. Para ele, o ‘Norte 1’ tem sido uma instância de comunhão, de articulação e apoio às dioceses, prelazias, pastorais, serviços e organismos.

“Nesse sentido, o regional tem uma relevância para a Igreja presente numa região de muitos desafios, sobretudo o geográfico (…). Apesar do isolamento, das distâncias, das dificuldades de comunicação, o ‘Norte 1’ tem procurado ser um espaço de comunhão, de participação e de apoio neste pedaço importante da Amazônia”, completa o secretário executivo. 


Presidido pelo bispo de Roraima, dom Mário Antônio da Silva – eleito para o cargo em 2015-, o regional procura estar em sintonia com as indicações das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil. “Atualmente temos as nossas diretrizes em comunhão com as cinco urgências da Ação Evangelizadora, com pistas de ação para que cada Igreja particular, cada pastoral, movimento ou organismo possa caminhar de forma conjunta, criando uma grande rede de evangelização”, afirma dom Mário.

Dentro das cinco urgências citadas por dom Mário, no presente momento, o regional tem se baseado em três causas comuns: meio-ambiente, questão indígena (incluindo ribeirinhos e quilombolas) e tráfico humano e migrações. “Com o advento da Rede Eclesial Panamazônica, a circunscrição tem procurado trabalhar a ideia da rede, nas diversas atividades regionais. Temos procurado trabalhar a inserção das diversas organizações pastorais que temos nessa dinâmica da Repam”, enfatiza o secretário executivo.

Geografia e população


Atualmente, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o regional Norte 1 possui uma população de cerca de 4 milhões de habitantes e uma superfície de 1.354.923,3 km². Sediado na arquidiocese de Manaus (AM), o regional possui cinco dioceses: Alto Solimões cuja sede é Tabatinga (AM); Coari cuja sede é Coari (AM); Parintins com sede em Parintins (AM); Roraima com sede em Boa Vista (RR) e São Gabriel da Cachoeira com sede em São Gabriel da Cachoeira (AM). 

Já em relação às prelazias, o regional possui três: a de Borba, com sede em Borba (AM); a de Itacoatiara, com sede em Itacoatiara (AM) e por último, a de Tefé cuja sede é Tefé (AM). No total, a circunscrição possui nove igrejas particulares, distribuídas no Amazonas e em Roraima.

Atividades

Para cumprir a missão que propõe, o regional Norte 1 realiza algumas atividades ao longo do ano. No mês de fevereiro, por exemplo, acontece um encontro dos bispos, sempre em uma das dioceses ou prelazias. Este encontro tem como objetivo partilhar as alegrias e os desafios da caminhada e, acima de tudo, traçar metas. Na oportunidade, os bispos também se encontram com o povo da diocese ou prelazia que os acolhe.

Em abril, durante a Assembleia Geral da CNBB, em Aparecida (SP), os prelados se encontram nas privativas regionais. Além destas atividades comuns, as pastorais, movimentos, organismos realizam suas atividades regionais, sempre com o apoio e acompanhamento do secretário executivo e dos bispos referentes de cada setor pastoral.
Por último, no mês de setembro, acontece a Assembleia do Regional, ocasião onde procura-se tratar do tema que a CNBB propõe em sua Assembleia Geral, neste ano “Iniciação à Vida Cristã: Itinerário para Formar Discípulos Missionários”. O encontro conta com a participação de todos os bispos, coordenadores diocesanos de pastoral, coordenadores das diversas pastorais, movimentos, organismos. A ideia é fazer uma avaliação, rever a caminhada e aprovar as diretrizes do regional.

Contato

Atualmente a sede do regional Norte 1 localiza-se na Avenida Epaminondas, em Manaus (AM). 
O regional ainda não possui site próprio, mas o contato pode ser feito pelo e-mail: cnbbnorte1@gmail.com. Mais informações no blog: http://cnbbnorte1.blogspot.com.br/


Fonte:  http://cnbb.net.br/norte-1-presenca-da-igreja-numa-regiao-de-grandes-desafios/

quinta-feira, 6 de julho de 2017

II Interclesial das CEBs Regional Norte 1 discute desafios de ser igreja na Amazônia


De 6 a 9 de julho, a paróquia São Jorge, localizada na rua Emília Ruas, nº 311 – São Jorge, pertencente ao Setor Avenida Brasil, será palco para o encontrão do II Interclesial das Comunidades Eclesiais de Bases (CEBs) Regional Norte 1, que abrange os estados do Amazonas e Roraima. Com o tema: “CEBs e os desafios de ser igreja do mundo urbano na Amazônia”, o evento iniciou as 8h com a celebração de abertura presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Manaus, Dom Sergio Castriani que concelebrou junto com o pároco, Frei Agostinho e demais padres convidados.

Durante a celebração, foram dadas as boas-vindas aos participantes vindos da Diocese de Roraima, Diocese de Coari, Diocese do Alto Solimões, Prelazia de Borba, Prelazia de Tefé, Arquidiocese de Manaus e outros. “Temos uma expectativa de em torno de 500 participantes, aqui já temos cerca de 300 pessoas inscritas e ainda estamos aguardando a chegada de mais participantes da arquidiocese de Manaus, além da delegação de Itacoatiara e Parintins que estão a caminho também”, disse Nete Souza, coordenadora das CEBs do Regional Norte 1.

Para Dom Sergio, essa é a oportunidade de gerar um momento de confraternização e alegrar uns aos outros, uma forma de preparação para o encontro nacional das CEBs. “As CEBs é um novo modo de ser igreja, onde o povo participa, se compromete com a realidade e sonha com um mundo melhor, em paz, sem violência e com uma maior participação dos cidadãos. É muito importante estar nesse encontro, o tema é ótimo e aqui sabemos que não estamos sozinhos, já nos preparando para o encontro nacional que acontecerá em janeiro do ano que vem”, comentou o arcebispo.

Por Érico Pena















terça-feira, 27 de junho de 2017

Regional Norte 1 realiza encontro com animadores vocacionais de 8 dioceses e prelazias



Cerca de 30 animadores vocacionais de diversos municípios do Amazonas e de Roraima, de 8 dioceses e prelazias – Regional Norte 1 da CNBB estiveram reunidos, nos dias 23, 24 e 25 de junho, no Encontro de Animadores e Animadoras Vocacionais, realizado no Centro de Treinamento Maromba.

O evento teve por tema “Os jovens e o discernimento Vocacional” e tratou do documento preparatório da XV Assembleia do Sínodo dos Bispos (no contexto amazônico) a ser realizado em outubro de 2018.  Dentre os presentes estiveram o bispo auxiliar Dom José Albuquerque, padres, religiosas e religiosos, leigos e leigas que animadores vocacionais.

Para a leiga, Marlene Marques Monteiro, de Roraima, o encontro foi muito rico em conhecimento e troca de experiências e afirmou que o despertar vocacional de um jovem precisa ser acompanhado por aqueles que podem dar um suporte para que este descubra onde pode se inserir. “Sou mãe, psicóloga e trabalho no acompanhamento dos jovens engajados na vivência dentro do Seminário e sou catequista. E esse processo do despertar vocacional está em todos os ambientes onde está o jovem. E é importante que nós leigos, consagrados, religiosos estejamos junto ao jovem ajudando nesse processo vocacional que é muito difícil e às vezes as famílias não tem condições de dar esse suporte e a gente acaba dando esse apoio ao jovem e à família. Esse processo acaba envolvendo emoções, sentimentos, crenças e eu, enquanto psicóloga, acredito que é importante a nossa participação, seja como leiga, mãe e engajada em uma pastoral da igreja, acabo participando desse processo vocacional que vai beneficiar não só o jovem que está sendo acompanhado, mas a sua família e a sociedade na qual ele está inserido”, destacou Marlene.

“O primeiro chamado é à vida.  Depois de vivos temos um chamado a uma formação humana e nesse processo, onde nós nos desenvolvemos como pessoa, podemos ajudar a igreja de várias maneiras.  O jovem pode seguir o chamado para uma vida como leigo, ou como consagrado ou sacerdote.  Como Deus vai escolher cada um para servir ao próximo, é preciso um processo de conhecimento, de despertar, e nós auxiliamos nesse processo de discernimento para que ele possa ter a oportunidade de escutar o chamado de Deus e escolher dizer sim ou não”, explicou Marlene.

Por Ana Paula Lourenço











segunda-feira, 19 de junho de 2017

Seminário celebra o encontro das Pastorais Sociais do Regional Norte 1

 

Entre os dias 16 e 18 de junho, aconteceu no Centro de Treinamento Maromba, o Seminário Regional das Pastorais Sociais, que reuniu coordenadores e representantes de oito, das nove igrejas do Regional Norte 1 - CNBB, com o objetivo de proporcionar uma troca de experiências, além de fortalecer as diversas pastorais sociais (Pastorais da Família, da Criança, do Migrante, da Saúde, da Pessoa Idosa, da Solidariedade, Indigenista, DST/AIDS, Carcerária, e etc) que fazem parte do Regional Norte 1.

Frei Olávio Dotto, Assessor das Pastorais Sociais da CNBB (vindo diretamente de Brasília) e Dom Adolfo Zon, bispo de Alto Solimões (Benjamin Constant, Tabatinga, Atalaia do Norte) e referencial das Pastorais Sociais do Regional Norte 1, também estiveram presente durante os três dias coordenando e participando junto com os religiosos e leigos, com o intuito de refletir a pastoralidade e favorecer a comunhão entre as pastorais sociais, levando a um trabalho em rede.


Para Frei Dotto, o seminário foi um clamor das pastorais e aponta um caminho que devemos tomar, enquanto igreja, para que todas se fortaleçam respeitando a individualidade de cada uma. “A nossa função é acompanhar as Pastorais Sociais e os Regionais da CNBB e, o que vivenciamos no Norte 1, é um momento de muita alegria, não só para partilharmos a vida, a missão, mas também se articular melhor, trazer os desafios no sentido de ajudar a transformar e reestabelecer a dignidade das pessoas”, explicou o Frei.

De acordo com o diácono Francisco Andrade, secretário executivo do Regional Norte 1, o evento vem sendo pensando há meses para que tudo ocorresse reunindo o maior numero de pastorais possíveis.“Todo esse processo de organização começou em nossos encontros da Assembleia da CNBB em setembro do ano passado, o encontro era para ter acontecido em fevereiro, mas por uma questão de logística e agendamento das pastorais não foi possivel, mas a partir desse primeiro encontro a perspectiva que temos é que todos os anos a gente consiga ter um evento desse”, disse o diácono.












Segundo Dom Adolfo, o encontro serviu como uma espécie de entrosamento entre as pastorais e as ações que cada uma realiza e assim criar estruturas para que possam atuar em conjunto. “Nós convocamos esse encontro para fazer um conhecimento das pessoas que estão servindo a Igreja no campo social e ver como podemos nos integrar em certas ações que um sozinho não pode realizar, pois temos a dimensão assistencialista, a promocional, por isso não podemos só olhar o nosso quintal, temos dialogar, que encontrar parcerias e olhar além da igreja para fazer mudar as estruturas que muitas vezes nos oprime impedindo a realização do Reino no meio de nós”, comentou o bispo.


Por Érico Pena

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

PRELAZIA DE BORBA REALIZA ENCONTRO DE FORMAÇÃO EM PREPARAÇÃO A CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2017.





Dia 25 e 26 de novembro aconteceu o encontro de formação em preparação a Campanha da Fraternidade 2017, na Prelazia de Borba, Paróquia de Santo Antônio. Participaram cerca de 52 agentes das diversas pastorais, movimentos e serviços da Prelazia.



Em 2017 a Campanha da Fraternidade terá como Tema: Fraternidade: Biomas Brasileiros e defesa da vida e como Lema: Cultivar e guardar a criação (Gn 2,15). Seguindo o método ver, julgar e agir, o Diácono Francisco Andrade, Secretário executivo do regional Norte 1, apresentou a Campanha. 
No encontro detectamos que "a Igreja Católica há algum tempo, tem sido voz profética a respeito da questão ecológica". São muitas as lutas e as experiencias que a Igreja da Amazônia tem defendido e vivenciado, precisamos fazer memória e re-assumir estas lutas, muito do que temos hoje na Amazônia em relação a defesa da vida e da natureza é em virtude das lutas das nossas comunidades. "Na história da criação, Deus criou o ser humano por ultimo, e entregou toda a criação aos seus cuidados", por isso, temos a missão de cuidar desta casa comum.
Durante o encontro formativo surgiram muitas propostas de ações concretas, que serão ainda refletidas e melhoradas juntamente com os conselhos pastorais, os Bispos Dom Eloi e Dom Zenildo, os padres,  para que possam ser aprimoradas e vivenciadas durante a campanha da Fraternidade em 2017.
A Próxima formação será na Prelazia de Tefé nos dias 16 a 18 de dezembro.